Lendo:
Cinco erros na validação de dados financeiros que afastam sua empresa do cliente final

Cinco erros na validação de dados financeiros que afastam sua empresa do cliente final

17 de Dezembro de 2019

CCM

A validação de dados financeiros é uma das maneiras mais eficazes de corrigir falhas que impactam o desempenho de um negócio e, ainda, oferecer experiências sem fricção ao cliente final. É por isso que o DVA (Data Validation Automation), da :hiperstream, é uma solução configurável que atende empresas de diferentes setores e portes tecnológicos interessadas em eliminar inconsistências e verificar 100% dos dados financeiros de forma automática.

Confira cinco erros recorrentes na validação de dados financeiros que podem distanciar sua empresa do cliente final - um dos temas apresentados no e-book Potencializando o uso de dados no envio de faturas, já disponível para download.

1- Validação de dados cadastrais

Nome e sobrenome, CPF, endereço, e-mail, telefone… A lista de informações fornecidas pelo cliente no momento do cadastro vai longe, e, não à toa, é o primeiro ponto que precisa ser verificado para eliminar erros no envio de faturas.

Além de manter essas informações sempre atualizadas, outra preocupação crescente das empresas é a segurança. Afinal, tratam-se de dados pessoais (aqueles que permitem, direta ou indiretamente, identificar quem está por trás das informações fornecidas) e precisarão ser tratados em acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que deve entrar em vigor em agosto de 2020 no Brasil. Por isso, a :hiperstream e o DVA estão prontos para atender a nova legislação e ajudar empresas a construírem relações ainda mais transparentes e de confiança com seus clientes finais.

2- Validação de transações

Outro desafio da validação de dados financeiros é garantir que todas as transações e taxas de uma fatura estejam corretas. É um problema bastante comum nas verificações por amostragem e, de pequenos erros, como a não cobrança de uma parcela da anuidade, até grandes falhas, em que o prejuízo da empresa pode ganhar proporções enormes. 

3-  Linhas digitáveis e códigos de barras

Muitos consumidores nem imaginam que o código de barras é a representação gráfica de uma série de dados numéricos fundamentais para realizar um pagamento, como identificação do banco, código da moeda, data de vencimento e, claro, o valor do boleto. Qualquer erro nesse processo, por outro lado, não passa despercebido. 

Se as informações estiverem incorretas, o cliente precisará incluir, um a um, os números da linha digitável. Uma ruptura incômoda, considerando o mundo cada vez mais ágil e digital. Mas, se o erro também se estender à linha digitável, não será possível efetuar o pagamento, resultando em perda financeira para o negócio e também na experiência do cliente.

4- Quantidade de registros na base

Imagine essa situação: uma empresa com base de 10 mil clientes está gerando 9.999 faturas por mês. Aceitável? Não, ainda mais nos casos em que o volume de clientes é ainda maior. O DVA também é responsável por validar se os números batem conforme as regras de negócio, apontando possíveis causas para a inconsistência e facilitando a solução definitiva do problema em conjunto com a área responsável.

5- Duplicidade de registro

E o oposto também acontece. Erros no processo podem gerar duplicação da base de dados, levando ao envio de duas faturas para o mesmo cliente em um único mês, por exemplo.

Em um período de apenas cinco meses, o Reclame AQUI já chegou a registrar mais de 5 mil queixas sobre cobrança em duplicidade. Além do dano à reputação da marca, há o desgaste para solucionar o problema e estornar o pagamento, caso a transação em duplicidade seja realizada.

Aqui na :hiperstream acreditamos que tecnologia é o caminho para transformar a comunicação financeira. E, assim, oferecemos soluções para tornar processos conhecidos por serem onerosos ou repletos de falhas em experiências positivas para o cliente final e o público interno, reduzindo também os riscos das empresas.

Você está em busca de um guia completo para potencializar o uso de dados no envio de faturas e comunicações financeiras? Clique aqui para baixar nosso e-book exclusivo. Boa leitura!

Outros conteúdos que podem interessar

30 de novembro de 2020

Jornada financeira e rastreabilidade: a migração para o WhatsApp

A pandemia acelerou a migração de comunicações financeiras para o digital. Após colocarmos em prática, analisamos a matriz de rastreabilidade e a efetividade do WhatsApp para mensurar como se dão as interações ao longo da jornada financeira do cliente, seja como canal de relacionamento principal ou para contingência.
25 de Novembro de 2020

Transpromo: um olhar de marketing e relacionamento para comunicação financeira

As empresas aprenderam que mensagens cada vez mais direcionadas geram valor na jornada do cliente. Uma das formas de fazer isso é o Transpromo, ou transpromocional: comunicações customizadas para o cliente em documentos financeiros para impulsionar relacionamento, aumentar os níveis de fidelização e gerar mais vendas.

Solicitar Demonstração

Obrigado pelo seu pedido. Entraremos em contato brevemente!

Icon For Arrow-up